quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Histórico da Igreja Metodista do Lins - Rio

Na segunda metade dos anos 30, dois membros da Igreja Metodista de Vila Isabel, Srs. Oscar Lobo Carneiro Monteiro e Heitor Ferreira Pimenta, mudaram-se para o Méier. Na realidade, um deles foi morar na Boca do Mato, como era então conhecida a região que vai da Rua Pedro de Carvalho até a Rua Maranhão.

Os dois haviam sido Superintendentes da Escola Dominical da Penha, criada pela Igreja Metodista de Vila Isabel, onde muito trabalharam. Aquilo solidificou ainda mais a amizade que os unia. E uma idéia surgiu. Por que não se fundar uma Escola Dominical na Boca do Mato? Mas, o Sr. Heitor foi transferido para o Belo Horizonte e depois para Niterói, onde veio a falecer. Os planos tiveram que esperar um pouco mais.

Em 1942 veio pastorear Vila Isabel o Rev. Adriel de Souza Motta, que achou ótimo ter-se um ponto de pregação na Boca do Mato, Lins ou Méier, do lado da Rua Dias da Cruz. Os órgãos da Igreja de Vila Isabel aprovaram a criação e foi alugada uma loja na Rua Maranhão, quase esquina da Rua Aquidabã.

O trabalho foi inaugurado em 3 de outubro de 1943 e assim registrou o Rev. Adriel de Souza Motta:
" Devemos ao Sr. Oscar Carneiro Monteiro a iniciativa da fundação de nosso trabalho na Boca do Mato (Meyer). Por inspiração divina procurou e encontrou um local e um salão satisfatório à Rua Maranhão, ao lado do nº 177, esquina da Rua Aquidaban. No dia 6 de setembro de 1943 o referido irmão levou o assunto à reunião da Junta de Ecônomos. Informou à junta que o aluguel custaria Cr$ 200,00 (duzentos cruzeiros) mensaes, havendo já um irmão anônimo que se prontificou a auxiliar com Cr$ 100,00 (cem cruzeiros) mensaes.

"A Junta, unanimemente, aprovou-o e encaminhou o assunto à Assembléia da Igreja para outras providências necessárias. A assembléia reunida no dia seguinte, 7 de setembro, aprovou também o plano por unanimidade e fundou o ponto de pregação da Boca do Mato e a Escola Dominical. Procedida a eleição para Superintendente da Escola e responsável pelo ponto de pregação, recaíram ambos os cargos nas mãos do idealizador da obra - Sr. Oscar Carneiro Monteiro.

"Para promover o levantamento de fundos, e providenciar mobília para o Salão, foi nomeada uma comissão com um representante de cada organização da Igreja sob a presidência do Sr. Itiberê Deslandes, presidente da Junta de Ecônomos. A comissão trabalhou com todo o entusiasmo e conseguiu mobiliar o Salão em poucos dias, com as seguintes peças: 48 cadeiras, estrados, púlpito, porta-Bíblias, tudo novo e bom.

"A inauguração realizou-se no dia 3 de outubro, às 16h, com um programa simples mas inspirador, perante uma numerosa assistência.

"Além do pastor, falaram: Rev. Antônio Campos Gonçalves, Rev. José Antônio de Figueiredo - Superintendente Distrital, Sr. Oscar Carneiro Monteiro e um representante da Igreja da Penha.

"Eis os primeiros fatos do início deste trabalho empreendido em nome de Deus, com largas visões para o futuro.

"Rio de Janeiro, em 3 de outubro de 1943.
Adriel de Souza Motta, Ministro-pastor da Paróquia de Vila Isabel."


Apesar do entusiasmo inicial, o local não era de fácil acesso para alguns. Ao lado do salão havia um botequim e, por diversas vezes, bêbados tumultuaram os trabalhos. Depois de poucos anos o trabalho foi suspenso.

O ideal, contudo, não morreu. Algumas tentativas foram feitas posteriormente, inclusive vários cultos evangelísticos em casa de D. Ondina de Oliveira Franco, na Rua Baronesa de Uruguaiana, 180, no Cabuçu.

Em 1994, uma filha do Sr. Oscar Lobo Carneiro Monteiro, Sra. Martha Monteiro d'Araujo, em conversa com o seu cabeleireiro, Sr. Ciro (não temos agora em mãos o seu sobrenome!), falou da antiga idéia de haver um trabalho metodista naquela área, agora mais conhecida como Lins e Vasconcelos. O Sr. Ciro colocou o seu salão à disposição. O oferecimento foi levado à reunião da CLAM - Coordenadoria Local de Ação Missionária da Igreja de Vila Isabel, que em reunião de abril de 1994 o aprovou.

Assim, às 16 horas e 30 minutos do dia 22 de maio de 1994, no Salão de Beleza de propriedade do Sr. Ciro, situado à Rua Pedro de Carvalho, nº 180, foi inaugurado pelo então pastor-titular de Vila Isabel, Rev. Marcos Gomes Torres, a Congregação do Lins de Vasconcelos. Estavam presentes cerca de 70 pessoas e o sermão foi proferido pelo pastor-coadjutor de Vila Isabel, Rev. Antônio Faleiro Sobrinho.

Apesar da boa vontade do proprietário do salão, havia as limitações normais em tal situação e, aumentando o número das pessoas que participavam dos trabalhos, era importante ter-se um local próprio, de uso exclusivo da Congregação. Foi encontrada, para aluguel, a casa da Rua Aquidabã, nº 691, no melhor ponto do Lins. Com pequenas adaptações, poderia bem servir para a Congregação. Deve-se registrar que o proprietário do imóvel recusou-se a firmar contrato em nome da Associação da Igreja Metodista - pessoa jurídica de nossa igreja. Assim, em Concílio Local da Igreja de Vila Isabel realizado em 10 de março de 1996, foi o irmão Aírton Campos - Coordenador do Ministério de Patrimônio e Finanças - autorizado a firmar o referido contrato em seu nome, tendo como fiador o irmão Josias Nery Gonçalves.

A inauguração do novo local foi festivamente realizada com um culto em 31 de março de 1996. A primeira oração em o novo local foi feita pelo Rev. Benjamim Martins, esposo de D. Aletta Monteiro Martins, também filha do Sr. Oscar Monteiro, então já falecido e a pregação no culto de inauguração foi do Rev. Ronan Boechat de Amorim, pastor titular da Igreja naquele ano. A responsabilidade com os trabalhos ficou com o jovem Marcelo de Assis Corrêa e sua esposa, Cláudia Corrêa, respectivamente Coordenador e Vice-Coordenadora do Ministério de Evangelização da Igreja de Vila Isabel. Em janeiro de 1997 Marcelo de Assis Corrêa foi nomeado pelo Bispo da Região, Revmo Paulo de Tarso de Oliveira Lockmann, como Pastor-Acadêmico para a Igreja Metodista de Vila Isabel, para poder atender exclusivamente a Congregação do Lins.

Em janeiro de 1998, Marcelo de Assis Corrêa, já consagrado pastor, foi transferido para a Igreja de Deodoro e o Rev. Flávio Ricardo Bahiense da Silva foi nomeado para Vila Isabel e designado para a Congregação do Lins.

Deve-se destacar o trabalho dos leigos neste período de solidificação e expansão, podendo citar-se, entre outros, os membros da família Carvalho, inclusive na parte musical.

Em pouco tempo a casa alugada tornou-se insuficiente para as necessidades da Congregação. Passou-se a procurar uma propriedade para ser adquirida, porém quando se encontrava algo adequado os preços estavam muito acima das disponibilidades financeiras.

Finalmente surgiu a oportunidade. Encontrava-se à venda uma área de 1000 m2, com várias edificações. Lá havia sido uma residência, posteriormente transformada em escola e que agora era de propriedade da Igreja de Nova Vida. Situava-se na Rua Maranhão, 347, coincidentemente na mesma rua onde surgira o Ponto de Pregação da Boca do Mato.

No Concílio Local da Igreja de Vila Isabel realizado em 28 de janeiro de 2001 a aquisição foi aprovada por unanimidade. Seria paga uma entrada de R$ 60.000,00, mais 30 prestações mensais de R$ 3.500,00 cada, e uma final de R$ 5.000,00, totalizando R$ 170.000,00. Para a entrada foram utilizados valores do Fundo de Expansão Missionária da Igreja de Vila Isabel, que também ficou responsável pelo pagamento das mensalidades.

A inauguração da propriedade deu-se com um culto no dia 22 de abril de 2001, às 16 horas. Entre muitos membros da igreja e visitantes, estavam presentes o Rev. Marcos Gomes Torres, pastor da igreja quando do reinício dos trabalhos no Lins e o Rev. Marcelo de Assis Corrêa, seu primeiro pastor, além dos pastores de Vila Isabel, Revs. Ronan Boechat de Amorim e Adilson Nunes Monteiro.

Em janeiro de 2002 o Rev. Flávio Ricardo Bahiense da Silva foi transferido para a Igreja de Jardim América, no Rio, sendo nomeado para substituí-lo o Rev. João Carlos Rodrigues da Silva.

Os trabalhos expandiram-se, muitos novos membros foram recebidos e a Congregação levantava os recursos necessários à sua manutenção. Era, pois, tempo de pensar em sua promoção a Igreja. Isto foi incluído como uma das metas do centenário da Igreja de Vila Isabel, que transcorreu durante o ano de 2002.

Após estudos que confirmaram a viabilidade da transformação da Congregação do Lins de Vasconcelos em igreja, foi isto solicitado oficialmente à COREAM - Coordenação Regional de Ação Missionária, que em sua reunião de 18 de dezembro de 2002 atendeu ao pedido.

No dia 11 de janeiro de 2002, na propriedade da Rua Maranhão, um culto de louvor agradeceu a Deus as bênçãos recebidas e a criação da nova Igreja Metodista do Lins.

MEMBROS FUNDADORES DA IGREJA METODISTA DO LINS:
ROL DE MEMBROS DA CONGREGAÇÃO DO LINS (Março de 2002)
ROL DE MEMBROS DA CONGREGAÇÃO DO LINS (Março de 2002)
1) Ana Catarina Campos Thiers de Carvalho,
2) Ana Luiza dos Santos Nogueira
3) Anna Maria de Oliveira,
4) Agostinho Pereira da Silva,
5) Almir Lemos Nogueira
6) Alzira Benevides da Silva,
7) Arineide de Souza dos Santos,
8) Carla Ragi Eis Mendonça,
9) Carlos Jorge de Carvalho,
10) Cláudia Letícia Oliveira da Silva,
11) Cláudio Luiz Andrade dos Santos,
12) Creonice Moulim Maciel,
13) Cristina Maria Bavassano Marinho,
14) Daniela Moulim Maciel,
15) Dilma Tereza Amaral Almeida,
16) Élida Faria Mondaine,
17) Elisângela Andrade Costa,
18) Eloá Ruffo Torres,
19) Érica Faria Mondaine,
20) Emilio Ferreira Leitão Filho,
21) Ercilia Bavassano Marinho,
22) Euceni Feitosa Rattes,
23) Fabrício dos Santos Nogueira
24) Felipe Carvalho Neumann,
25) Fernando Carvalho Neumann,
26) Geraldo de Carvalho,
27) Gláucia Dantas de Souza Bonfim,
28) Gláucia Prates Vieira,
29) Gláucio Souza dos Santos,
30) Gleison Souza Santos,
31) Gustavo Pereira de Carvalho,
32) Grazielle Regina P. Faria Timbó,
33) Haidê Rodrigues de Souza e Silva
34) Helena Pereira,
35) Hélio Lemos Moreira,
36) Hélvio Nunes Mendonça,
37) Ilda Nascimento
38) Ilka Moreira de Carvalho,
39) Ivânia Alves Ribeiro,
40) Ivete Dantas Lobo Carneiro Monteiro
41) Jobér Golfredo Cumán,
42) Júlio César Libonati da Silva,
43) Karla Bento Pacheco,
44) Laura do Amor Cardoso José,
45) Léa Peixoto Valle Rego Lopes
46) Leila Marques,
47) Letícia Amaral de Almeida,
48) Lúcia Regina Soares Martins
49) Luiz Eduardo Hipólito,
50) Luiza dos Santos Nogueira
51) Luiz Fernando Ferreira Fernandes
52) Márcia Ragi Eis Mendonça,
53) Márcio de Souza Mesquita,
54) Márcio Paiva Timbó,
55) Margarida Araújo de Oliveira,
56) Marilucy Alberto Noreira,
57) Marli da Silva Nunes
58) Marlucy Moreira Kniel,
59) Martha Monteiro,
60) Meriçam Campinas Cardoso,
61) Mônica Marques Palmeira,
62) Nilza Jacy Monteiro
63) Norma C. Cordeiro da Silva,
64) Patrícia da Silva
65) Paulo César Soares de Freitas,
66) Regina Lúcia de Oliveira,
67) Reginaldo Benevides da Silva,
68) Rita de Matos Mesquita,
69) Roberta Alessandra Ferreira da Silva,
70) Rodrigo Campinas do Amor Cardoso,
71) Rosa Flor da Silva

Um comentário:

Ricardo disse...

Trabalhadores da obra na igreja colocaram gaiolas para capturar os saguis do terreno vizinho e possivelmente vender em feiras. Os animais são inofensivos . Não é correta a prisão de animais silvstres em area urbana, passivel de denuncia ao iBAMA e orgãos ambintais.